[:pb]Qual é a sua rede social?[:]

10/05/2016 por LVBA Comunicação

[:pb]shutterstock_133131995

O Facebook, inegavelmente, tem o maior alcance de todas as redes sociais. No final de 2015, a rede social anunciou que chegou a 1,59 bilhão de usuários, sendo que desses, 65% acessam diariamente a rede de Mark Zuckerberg. Seus demais projetos não ficam tão atrás assim, por sinal. O WhatsApp já chegou a 1 bilhão de usuários, seguido pelo Facebook Messenger com 900 mil usuários e o Instagram, com 400 mil usuários.

Assim, nada mais natural do que criar perfis e páginas nessas redes, correto? Quanto mais gente, maiores as chances de atingir um público grande. Na verdade não. Ao se trabalhar com redes sociais alguns elementos precisam ser levados em consideração.

Objetivos: item básico mas que as empresas ainda acabam passando direto ao criar perfil corporativo em rede social. Mais do que ter um grande número de fãs, é preciso pensar qual o real objetivo. Gerar vendas, engajamento de público, ser um canal de informações interessante para os usuários, se tornar referência em seu segmento são apenas algumas das muitas reflexões antes de criar uma rede.

Conteúdo: sua empresa tem conteúdo relevante para manter uma rede social? Não basta criar, é preciso enxergar dentro da área de atuação o que é relevante para atingir os objetivos escolhidos antes. A empresa possui conteúdos próprios, pretende gerar ou utilizará conteúdo externo (como links interessantes)? Isso é importante na escolha.

Periodicidade: quando a gente pensa em rede social nova, quer colocar o máximo de conteúdos possível. E isso é um risco. Estabelecer um cronograma realista e cumpri-lo é mais relevante do que fazer muitos posts de uma vez e sumir depois da rede social.

Números: Sim, eles são sim importantes. Mas é preciso ter claro que números qualificados são sempre mais interessantes do que número bruto. E isso é possível estudando cada uma das redes sociais e encontrar a que tenha o público que seja mais relevante.

Com a combinação desses passos é possível enxergar se alguma das redes de Mark Zuckerberg é de fato a mais interessante ou se é o caso de investir em outras como o LinkedIn e o Twitter, que possuem seu público cativo. Isso sem entrar ainda nas redes de nicho, um novo mundo a se explorar. [:]