[:pb]Superar para fazer mais e melhor![:]

[:pb]A profissão que escolhi – ser uma comunicadora -, está cada vez mais desafiadora. Vale até fazer uma reflexão, que independente da área na qual você trabalha, uma realidade é cada vez mais constante: ou você está mudando seu negócio, ou seu negócio não sobreviverá no mundo atual, tão conectado e tecnológico. E como é possível dialogar com os diferentes públicos? Se fazer ouvir em meio a tantas conversas em redes, chats e WhatsApps?

Não só eu, mas a grande maioria dos profissionais hoje deve estar se perguntando exatamente isso. Aliás, as empresas e o mercado como um todo está olhando para esse mundo “VUCA” (do inglês, volatility, uncertainty, complexity and ambiguity), e tentando entender essa maluquice toda que estamos vivendo.

shutterstock_168161765

Para contextualizar um pouco, fui procurar mais informações sobre o tal conceito VUCA, e descobri que sua origem vem do mundo militar, com uma ótica de oficiais em operação. Neste cenário, os acontecimentos são caóticos e imprevisíveis, uma forma extrema de condições VUCA mesmo. Na gestão e estratégia das empresas, uma avaliação das condições de seu negócio sob a ótica VUCA pode ajudar na tomada de melhores decisões, além de deixar a equipe mais bem preparada para o “desconhecido”.

Bom, chegamos ao ponto. O desconhecido é assustador. Cabe aqui até um paralelo com uma experiência pessoal minha. Quando me tornei mãe da pequena Stella, minha filha que hoje está com 1 ano e 2 meses, me joguei em um mundo totalmente novo e “desconhecido” para mim. Antes de engravidar, não tinha experiência com bebês, a não ser por brincar um pouco com um sobrinho no fim de semana, de segurar no colo um filho de um amigo ou essas coisas mais simples que fazemos com crianças próximas. Mas, e aí quando você se depara com um bebê que é seu, que você tem que cuidar, alimentar, limpar e se dedicar 24 horas por dia? Além de mencionar que você acabou de conhecer aquele serzinho que não se comunica, a não ser pelo choro, e você não sabe exatamente o que fazer com ele. Acredito que estamos aí em um cenário VUCA também, concordam?

Bom, mas eu escolhi essa jornada de aprendizado. Ser mãe, sem dúvida, é o trabalho mais importante e mais desafiador que eu já tive na vida. E aqui cabe bem a palavra APRENDIZADO, no mais amplo sentido mesmo da palavra. Aprendi que a gente precisa estar aberta para o novo, para deixar os velhos conceitos e pré-conceitos de lado. Aprendi que vale a pena se doar para um outro ser e se empenhar para que o mundo seja um pouco melhor para a nova geração, e para a mais velha também, já que a expectativa de vida está cada vez maior. Devemos ouvir pessoas experientes na área em que estamos atuando e aquelas que não tem tanta experiência assim, mas está com boa vontade e disposta a te ajudar. Descobri que é importante ouvir, mas também saber filtrar a informação. Nem sempre o que foi bom para uma pessoa caberá para você ou para aquela determinada situação. Vale avaliar caso a caso.

Mas, voltando agora para o mundo dos negócios, é possível observar que algumas pesquisas de mercado já mostraram que 97% das empresas mais bem-sucedidas no mundo não são as que inventaram primeiro, foram as que captaram, replicaram, adaptaram e agiram com velocidade. Ou seja, é preciso ter foco e prontidão para inovar.

O mundo de hoje vive uma crise, então não espere moleza nem zona de conforto, tenha a certeza da volatilidade do câmbio, da insegurança das trocas comerciais, dos preços das commodities. Não acredite tampouco no bom senso dos grandes comandantes atuais de alguns países, como Trump, Putin.

Da mesma forma, não espere que um ser especial se materialize em Brasília e transforme toda a guerra de poderes, o jogo dos egos, a fragilidade da ética numa poção mágica de ordem e progresso. Isso é o que sonhamos apenas.

Neste ano, todos nós precisaremos nos reinventar para espantar a crise. A palavra de ordem é superar. Superar sim para fazer mais e melhor tudo o que já fizemos um dia. E é sempre bom lembrar: jamais seremos os mesmos de ontem, nem de hoje e não seremos iguais também amanhã. Todo dia mudamos um pouco, seja na área da comunicação ou em qualquer uma. Precisamos aprender algo novo sempre. Esse mundo VUCA em que vivemos não para e a nossa evolução precisa ser constante.
[:]