A importância – e a necessidade – de um trabalho de Relações Governamentais

01/06/2015 por Thiago Manolio

Quando pensamos numa empresa de Comunicação – tanto em Assessoria de Imprensa, quanto em Relações Públicas – normalmente nos vem à mente duas atividades principais: o relacionamento da empresa assessorada com jornalistas e blogueiros, além do contato com seus stakeholders, certo?!

Errado! Essa mentalidade vem mudando nos últimos anos, o que fez com que muitas Agências de Comunicação (e departamentos de comunicação de empresas) percebessem outro lado importante – para não dizer fundamental – da comunicação: o relacionamento com autoridades governamentais e/ou agentes públicos. É imprescindível que uma empresa conheça o cenário político e econômico do Brasil, verifique tendências de atuação e estabeleça canais de relacionamento entre os setores que compõem seu universo de interesse, contribuindo para que todos eles sejam atingidos, ouvidos e tenham a oportunidade de expor suas ideias.

Num momento em que a democracia brasileira encontra-se em fase de maturidade e as pressões sociais, políticas e econômicas trazem desafios para gestores, o trabalho de Relações Governamentais adquire uma grande importância. Todas as organizações dependem, direta e indiretamente, de decisões institucionais para sobreviver e atuar no mercado, e relacionar-se com essas instâncias é fator determinante para o sucesso.

Para ser eficiente, esse trabalho deve ocorrer simultaneamente nas esferas Federal, Estadual e Municipal e em todos os níveis do executivo, legislativo e judiciário. Muitas vezes, o nível hierárquico mais alto não significa maior nível de importância para um trabalho eficaz. O presidente, governadores e prefeitos são importantes sim, mas dependendo do assunto e da estratégia necessária, não são os melhores meios para alcançar o sucesso desejado. Muitas vezes, ministros, secretários, líderes e coordenadores de comissões de órgãos governamentais, por exemplo, são estrategicamente mais importantes.

Todos esses mecanismos devem ser combinados para alcançar objetivos e interesses das empresas. Porém, devem ser iniciados em momentos mais calmos e não somente em situações de gerenciamento de crise. Fazer a análise do contexto é imprescindível para o correto plano de comunicação e relações governamentais. E é exatamente isso que uma equipe focada e com conhecimento de causa faz – identifica a melhor maneira de se começar um trabalho e acompanha seus desdobramentos para sinalizar mudanças necessárias em seu decorrer.

Muitas empresas já descobriram que fazer relacionamento com as diversas esferas do Governo é estratégico e fundamental. E a sua? Quer saber mais como melhorar seu relacionamento com os diversos órgãos? Aqui na LVBA temos projetos personalizados de Relações Governamentais, que se transformam em ações e resultados efetivos.

 

Thiago Manolio acredita que Comunicação e Relações Governamentais são assuntos que devem, sempre, caminhar juntos e que a maioria das empresas não dá a devida atenção ao segundo.